sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O menino que descobriu as palavras - Cineas Santos


.
Era, uma vez, um menino
Que, ainda bem pequenino,
Descobriu, todo contente,
Que palavra é que nem gente:
.
Umas são festas e alegria,
Como palhaço e folia;
Outras são sempre tristeza,
Como doença e pobreza.
.
Percebeu o menininho
que a palavra carinho
Até as plantas entendem,
Todos os seres compreendem,
.
Não se conteve e gritou:
"Carinho é filho do Amor!"
O menino descobriu,
Ficou feliz e sorriu,
.
Que algumas são brilho, luz,
Como a palavra Jesus;
Outras são dura verdade,
Como tempo, dor, saudade;
.
Palavras, pura beleza,
Como homem e natureza.
Palavras, só emoção,
Como poesia e canção.
.
Descobriu que a mais querida
É sempre a palavra Vida.
.
O menino, então, dormiu
E uma palavra o cobriu,
Lençol que não é de pano,
Feito de paz e de sono.
.

5 comentários:

Reino da Fantasia disse...

Que linda,menina! Me emocionou,de verdade.Pura sensibilidade,luz e beleza.Paz"

Stella Tavares disse...

Amei o poema e o blog. Com certeza, estarei sempre por aqui.
Bjs

carlinha disse...

Muito boa ideia: postar poemas de renomados poetas. Gosto especialmente desse´poema do Cineas Santos pq ele mostra para as crianças o fantástico mundo das palavras.

adriana disse...

Adorei esse livro...tanto que recomendei aos meus alunos como livro paradidático do bimestre.
Agora...preciso elaborar uma provinha...se alguem tiver idéias...agradeço!
Um grde bjo

claudia acupunturista e massagista disse...

ELE FEZ ESSE LIVRO EM HOMENAGEMM AO FILHO HERMANO,BELA HOMENAGEM